Muscle Cars

11/08/2016 | By JotaErre | Filed in: Matérias.

A História através das miniaturas!

Na década de 60, jovens consumidores ansiosos por ousadia e velocidade, já cansados dos grandes carros de passeio cobertos de cromados, exigiam um novo conceito em automóvel. Em 1964 quando os engenheiros da Pontiac, Bill Collins e John DeLorean colocaram no conservador Pontiac Tempest o maior motor V8 disponível da marca (um 389 pol³), grades lisas, falsas entradas de ar e o batizaram de GTO, deram início a história dessas lendas sobre rodas.

A ideia logo foi seguida por outros fabricantes e a concorrência gerou clássicos que se eternizaram nas pistas e nas ruas, bólidos como Ford Mustang, Chevy Chevelle, Dodge Charger e Plymouth Cuda faziam frente ao Pontiac GTO. Depois do sucesso repentino, no início da década seguinte as novas regras de emissão de poluentes, o alto consumo de combustível por conta dos motores possantes e a crise do petróleo, interrompe momentaneamente a produção desses automóveis.

Eles voltariam às ruas no começo da década de 80 e graças ao desenvolvimento tecnológico, hoje temos várias releituras dessa “era dourada”. Mas apesar de econômicos, menos poluentes e bem superiores quanto à dirigibilidade e segurança, seus antecessores ainda movimentam os sonhos de muitos admiradores, mesmo aqueles que não viveram naquela época, sentem-se tomados pela potência de um motor com 8 cilindros em V. Por esse fascínio é o tema que mais tem investimentos em minha coleção.

Compõe a imagem: Pontiac GTO ’64 (Johnny Lightning – 1/64), Ford Mustang Fastback ’65 (Johnny Lightning – 1/64), Chevy Camaro Yenko ’68 (Johnny Lightning – 1/64), Plymouth Barracuda ’70 (Greenlight – 1/64) [Imagem: Nizaor Junior]


Tags: , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *